« Maioridade | Main | Refrescando a memória »

09-03-2007

Comments

rosangela
Olá, AMEI visitar voce! Fiquei emocionada ao ler A SOMBRA DO MEU TAMARINDO. A poesia de Rosa Lobato de Faria assemelha-se (pelo menos no que diz respeito ao tema)a uma de minhas poesias chamada SE EU MORRESSE AMANHÃ.Ah! já ia me esquecendo; Também sou cinquentona. Um grande abraço! Rosangela.
Adriana
Seus comentários me remeteram de uma sala, pequena, com alguns livros e algumas cadeiras, a tempos distantes de uma infância um tanto esquecida, e embora não tenha conhecido o querido Tamarino, nem se quer o vislumbrado em sonho, pude sentir o sentimento de liberdade que um dia experimentei sem maldade, lembrei como era bom sorrir apenas porque pulei uma pedra no caminho, ou correr sem destino, pelo simples prazer de sentir o vento a bater no rosto. Lembrei dos banhos de chuva e incrivelmente percebi que não existia na época alguns fenômenos da natureza como o frio, o calor, se bem estou me lembrando o tempo era sempre generoso e convidativo e eu, como criança que era, não me fazia de rogada. Obrigada por me fazer lembrar que um dia fui tudo isso essa pessoa pequena, essa criança, ainda esta em mim, acanhada num cantinho, mas agora segura de que eu me lembrei, eu me lembrei de mim, obrigada.
Celia
Oi Goretti, mudei o endereco do blog. www.esperancaeamor.blogspot.com apareca. Bj
Celia
Parabens a Juliana. Tamarindo era minha paixao quando morava ai. Adoro. Bjocas

The comments to this entry are closed.