« Aboiando para além do meu sertão e suas veredas | Main | E perdemos o dengo pra eternidade »

15-08-2008

Comments

Fernanda
Adorei os textos. Coisas que se perdem no tempo...

The comments to this entry are closed.